Análise de Negócios

Gostei desse "negócio", mas por onde começar?

Resumindo tudo

Análise de negócios se concentra no domínio do problema, para entender o problema você precisa entender o negócio e isso se faz através da modelagem de negócios que representa o que é importante para o projeto a partir de diferentes visões. Através dela você alcança a eficácia que quer dizer “fazer a coisa certa”, pois traça uma linha que vem da estratégia aos requisitos.

            Os requisitos são a forma através da qual o analista de negócios expressa a maior parte do seu trabalho. A engenharia de requisitos garante a sua eficiência (fazer direito) através de uma série de técnicas para que você descubra, desenvolva e comunique os requisitos garantindo que eles estejam corretos, sejam factíveis e, sobretudo, necessários. Lembro que análise de negócios serve para todo tipo de projetos, independente do produto do trabalho ser software. Às vezes você acaba até evitando que se produza software.

            Foco no domínio do problema não quer dizer que você vai abandonar a solução às moscas. Quanto mais integrado o trabalho com os desenvolvedores melhor, por isso proponho o deliberativo e o consultivo: que na hora do problema você seja o responsável e eles opinem e na hora da solução eles sejam os responsáveis e você opine. Entender de engenharia de software (ou de produção) para o analista de negócios é tão importante quanto entender de negócios.

            As fontes de informações sobre análise de negócios que recomendo são: Howard Podeswa, focado em utilizar UML para expressar requisitos e não só especificações pensando no negócio orientado a objetos. O IIBA que pretende divulgar a análise de negócios e definir seu escopo de práticas através do BABoK. E por fim o Paulo Vasconcellos que é o maior pensador do assunto no Brasil.

É normal que com um conteúdo tão corrido, resumido e “de cabeça” você sinta falta de alguma informação. Fique a vontade para entrar em contato: claudiobr@claudiobr.com