Análise de Negócios

Gostei desse "negócio", mas por onde começar?

Depois de ler tudo isso, afinal, por onde começar?

            Bem, eu sugiro as seguintes ações para o curto prazo:

Fale com outros profissionais: Não fique só nas minhas palavras, procure apoio de outros profissionais que já foram mais a fundo do que você no assunto. Critique as minhas opiniões e desenvolva as suas.

Faça cursos: Recomendo as oficinas do Paulo Vasconcellos de modelagem de negócios e de engenharia de requisitos. Recomendo também (claro), os cursos da Noble Inc Brasil, criados pelo Howard Podeswa e ministrados por mim. A Interdual também possui cursos muito bons próprios e trazidos dos Estados Unidos.

Envolva-se com o IIBA: Dê uma boa lida no BABOK 2.0. Apóie o capítulo do IIBA mais próximo de você.

Participe do grupo de analistas de negócios: O IIBA mantém um grupo de discussões para os interessados em análise de negócios. Participe, mas participe mesmo, pergunte, incomode, feche o pau, mas enriqueça a discussão, não seja um zumbi.

Estude negócios: Você é da área de sistemas? Que tal um livro sobre estratégia, processos, marketing ou finanças? Tudo isso vai ajudar muito sua modelagem de negócios.

Estude engenharia de software: Não há como escapar, mesmo que o seu perfil seja mais administrativo, você precisa levar em conta que as coisas só saem com uma boa engenharia de software, estude alguma opção, conheça metodologias mais tradicionais e as que estão na moda. Só fará bem e aproximará você dos desenvolvedores (e da realidade).

Por fim, o mais importante: APLIQUE TUDO O QUE VOCÊ APRENDEU

            Escrevi grande, pois é muito importante. Não espere estar nas condições ideais para fazer análise de negócios. Não espere alguém convidar você para montar uma área ou dar para você o emprego dos sonhos. Análise de negócios envolve práticas que podem ser aplicadas em diferentes áreas e momentos.

            Você trabalha em uma área pequena gerenciando um sistema chinfrim? Você é auxiliar de assistente de estagiário? E daí? Ser analista de negócios tem mais a ver com atitude do que com cargo, tem mais a ver com autoridade do que com poder.

            Trate seu “sisteminha chinfrim” como um rei, estude e comporte-se como analista de negócios. Essa prática vai ensinar muito e trazer muito retorno profissional. Falando em rei, sempre lembre que antes de ser o melhor jogador de futebol do mundo o Pelé era o melhor engraxate de Santos.